segunda-feira, 27 de junho de 2011

Contratação de familiares e de amigos pode dificultar gestão

Indicar colegas ou familiares para compor o quadro funcional é realidade comum entre pequenas empresas, principalmente nas que não possuem departamento de RH ou não contratam consultoria de recrutamento, na avaliação de especialistas.

"Como a pessoalidade é maior e, muitas vezes, não há setor de RH, o índice de indicações tende a ser superior [ao de grandes empresas]", afirma Gustavo Costa, diretor da Hays, de recrutamento.

Segundo o executivo, a prática pode trazer prejuízos quando o profissional não tem qualificação suficiente ou quando mistura a relação pessoal com a de trabalho.

"O desgaste provocado na equipe resulta em queda geral na produtividade", reitera.

AMIGOS DE LÍDERES

Esse foi o caso da Cemax, indústria de bolsas e acessórios, hoje com 54 funcionários. De origem familiar, o processo de seleção da empresa era feito por indicação.

"A gestão foi dificultada porque as relações envolviam amizade e vínculos familiares", lembra Maria das Neves, 37, gerente administrativa da Cemax.

Era complicado demitir amigos de líderes, diz a executiva, que, há dois anos, assumiu a função de profissionalizar a gestão de recursos humanos da empresa.

Para Paulo Pontes, diretor da Michael Page, companhia de recrutamento e seleção, o pequeno empresário costuma contratar por intuição e esquecer fatores técnicos.

Matéria do site: www.folha.com, desta data, às 07:13 horas

Nenhum comentário: